História

Em 28 de junho de 1992, a comunidade do Cohatrac viveu um dos mais importantes momentos de sua história. Certamente por providência divina, o Círio de Nazaré de Belém do Pará estava completando 200 anos de história e a aquela arquidiocese resolveu fazer uma peregrinação com a imagem de Nossa Senhora de Nazaré pelas capitais brasileiras.

Ao receber o convite para acolher o evento, o então arcebispo metropolitano de São Luís, dom Paulo Eduardo de Andrade Ponte, consultou o então vigário-geral da arquidiocese, padre José Bráulio Ayres, sobre o local onde pudesse acontecer a visita. O vigário, que já estava responsável pela quase Paróquia Nossa Senhora de Nazaré, reclamou para si o evento por ser esta comunidade também dedicada à Senhora de Nazaré.

Confirmada a visita, toda a arquidiocese se mobilizou na preparação para a vinda da imagem, pois a quase paróquia ainda com suas poucas lideranças não podia preparar sozinha a recepção.

Então, no dia 27/06, por volta das 16h, chega a comitiva que transportava a imagem vinda por terra da cidade de Belém, acompanhada por uma equipe composta de 20 casais integrantes da Comissão do Círio daquela cidade.

Um grupo de pessoas foi recebê-los no Km-01 da BR-135 – entrada de São Luís. Dali partiram num cortejo até a Igreja de Nossa Senhora do Carmo, no Centro da cidade, onde foi celebrada uma missa na área externa da igreja, sito à Praça João Lisboa.

Após a celebração, a imagem seguiu em carreata até a Igreja de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, na Cohab, onde permaneceu a noite toda numa vigília preparada por aquela paróquia.

Na manhã seguinte, por volta das 08h, uma grande procissão seguiu levando a imagem para o bairro do Cohatrac. O cortejo revestiu-se de grande pompa correspondendo à magnitude da visita. Um caminhão do Corpo de Bombeiros conduziu a redoma de vidro na qual se encontrava a imagem. A guarda de honra da Companhia ladeava a imagem, enquanto uma multidão estimada em cem mil pessoas se espremia pelas avenidas dos dois bairros seguindo de perto a pequenina imagem, cantando, rezando e pagando suas promessas.

A caminhada durou cerca de duas horas e o seu trajeto foi acompanhado por dois trios elétricos nos quais o ministério de música da Renovação Carismática Católica da Arquidiocese de São Luís se encarregou de fazer a animação. Ao término da caminhada foi celebrada uma missa na rotatória do cruzamento das avenidas Leste-Oeste com Norte-Sul.

O então arcebispo de São Luis, dom Paulo Eduardo de Andrade Ponte, presidiu a Santa Missa, que foi concelebrada por vários padres da arquidiocese. Ao final da celebração, o arcebispo abençoou a multidão com a imagem de Nossa Senhora de Nazaré.

Em seguida, o cortejo levando a imagem rumou para a igreja que estava em construção, ali permaneceu durante todo o dia para a veneração dos fiéis. Grande foi a movimentação de pessoas que, vindas de todas as partes da cidade, queriam ficar uns momentos olhando para ela, rezando e agradecendo por graças recebidas.

Por fim, na noite deste mesmo dia (28/06), aconteceu uma grande Celebração Eucarística na qual foi ordenado presbítero, o padre Cláudio Corrêa. E nesta mesma celebração dom Paulo Ponte leu, solenemente, a ata de criação da Paróquia Nossa Senhora de Nazaré do Cohatrac.

Os casais paraenses que faziam a peregrinação ficaram impressionados com a recepção feita à imagem e declararam ter sido aqui a maior e mais bonita festa das capitais brasileiras, portanto prometeram enviar de presente à nova paróquia uma réplica da imagem da Virgem de Nazaré que está em Belém, e propuseram à comunidade que se realizasse aqui também todos os anos o Círio de Nazaré, proposta logo aceita pelo pároco e por todos da comunidade.

No ano seguinte, já sob o comando do padre Jozimar Pinheiro Guimarães, a paróquia não realizou o Círio de Nazaré devido à construção da igreja que, ainda inacabada, não podia receber os fiéis durante a realização da festa.

De lá pra cá, já são 15 anos de realização da que hoje é considerada a segunda maior festa da Arquidiocese de São Luís, perdendo apenas para a festa de São José de Ribamar, padroeiro do Maranhão, que é realizada na cidade do mesmo nome há mais de 200 anos.

Hoje o Círio de Nazaré do Cohatrac é um evento constante do calendário religioso e cultural da cidade de São Luis e é realizado em 11 dias de festa, com o encerramento acontecendo sempre no segundo domingo do mês de outubro.

Várias pessoas da comunidade e até de outras paróquias de São Luís ajudam na preparação e realização do evento. Nas onze equipes de trabalho existentes, cerca de 800 pessoas se integram e trabalham voluntariamente na realização do evento e o que se constata é que o Círio mantém sua fama de grandiosidade, (o Círio de Nazaré de Belém é a maior manifestação da fé católica no mundo, reunindo nas suas última edições cerca de dois milhões de fiéis). Pois a cada ano aqui em São Luís também cresce o número de pessoas que vêm agradecer à mãe de Deus a sua intercessão valiosa.

Principais acontecimentos do círio

Missa de envio – realizada sempre no dia 1º de setembro. Após essa celebração os grupos seguem com suas imagens para visitar as famílias da comunidade.

Missas de rua – inicialmente essas celebrações aconteciam nas terças e quintas-feiras do mês de setembro. A partir do ano de 2007, por sugestão do padre Antonio José, passaram a ser celebradas aos sábados. O intuito de tais celebrações é de aproximar o Círio das pessoas, levando as celebrações para os diversos pontos do bairro a fim de divulgar o evento e aproximar os fiéis da festa.

Missa de abertura do Círio – no primeiro dia de realização do Círio as imagens que visitaram as famílias do bairro retornam em procissão para a igreja matriz e aí é celebrada a missa de abertura da festa.

Terço da Alvorada – realizado todos os dias às 6h da manhã pelas ruas do bairro encerrando com a santa missa matinal. Esse costume passou a ser realizado na festa por iniciativa do padre Ricardo Moreira, paraense que morou na paróquia como colaborador de 2003 a 2006.

Adoração ao Santíssimo Sacramento – a partir do ano de 2006, ano Eucarístico proclamado pela Igreja no Brasil, por iniciativa do padre Antonio José, todos os dias, às 18h, antes da celebração da Santa Missa acontece a adoração ao Santíssimo Sacramento. Momento forte de espiritualidade na festa do Círio.

Missas e novena – são celebradas todos os dias, na parte da noite durante nove dias seguidos.

Carreata do Círio – realizada na manhã do primeiro sábado do Círio, tem como intuito principal a divulgação do festejo na comunidade. O cortejo parte da frente da igreja matriz e percorre as principais avenidas do bairro, com buzinaço e os carros todos enfeitados com cartazes e bandeiras do Círio. Ao final é dada a bênção dos veículos.

Romaria do Círio – realizada na noite do Círio do primeiro sábado para o domingo. A caminhada sai à meia-noite do Largo do Carmo, com uma primeira parada na Igreja de Nossa Senhora da Conceição, no bairro Monte Castelo. A segunda parada acontece na Igreja de Nossa Senhora da Glória, no bairro da Alemanha; a terceira na Igreja de Nossa Senhora da Conceição, no bairro Anil, onde os romeiros fazem um lanche. A última parada é na Igreja de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, no bairro da Cohab. Todos santuários marianos. Depois segue para o Cohatrac.

Esta caminhada começou por iniciativa do padre Josimar Pinheiro Guimarães no ano de 1995 e hoje reúne uma multidão de pessoas que pagam promessas e rezam pedindo a proteção da Santa Virgem Maria. Por onde passa, a romaria atrai os olhares dos devotos que, mesmo durante a madrugada, acordam para ver a romaria passar e enfeitam as janelas e portas das suas casas em homenagem à santa.

A partir de 2007 foi incluída mais uma parada na romaria. Por insistência dos moradores do bairro Cruzeiro do Anil, faz-se uma parada em frente à Igreja de São Sebastião.

Missa dos Romeiros – essa celebração encerra a romaria e acontece por volta das 6h da manhã do domingo, quando a caminhada chega ao Cohatrac. É celebrada ao ar livre na Praça Nossa Senhora de Nazaré.

Café dos romeiros – é oferecido aos romeiros após a celebração da Santa Missa.

Romaria das Comunidades – realizada na sexta-feira que antecede ao encerramento do Círio e tem a participação das comunidades que fazem parte da paróquia, na noite em que elas animam a celebração da novena.

Traslado – no sábado, véspera do encerramento do Círio, após a missa das 17h, a imagem é trasladada para a Igreja Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, na Cohab, seguindo em carreata com intensa participação dos fiéis.

Antes de seguir para a Cohab faz um giro pelas avenidas do bairro e recebe mais uma homenagem dos devotos que se aglomeram, aplaudindo e reverenciando a imagem que passa.

Após a carreata, a imagem desembarca na Igreja de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro,  no bairro da Cohab, onde é recebida com festa e permanece durante a noite e o dia seguinte até a saída da procissão.

Procissão da Luz / Translado –  quando ainda estava à frente da paróquia, preparando o Círio de 2011, o padre Benedito Araújo deu a idéia de que o traslado do Círio fosse realizado a pé porque grande parte dos devotos não participava desse evento devido o mesmo ser em carreata. Portanto, quem não dispunha de veículo, apesar da solidariedade dos irmãos que ofereciam carona, ficava sem participar.

Com a saída do padre Benedito Araújo para ser bispo da Diocese de Guajará-Mirim (RO), o padre Flávio Collins abraçou a ideia e propôs para a comissão do Círio e a opinião do seu antecessor foi prontamente abraçada. Então, no dia 08 de outubro de 2011 foi realizada a “Procissão da Luz”. Para tal evento foram providenciadas luminárias coloridas para iluminar o trajeto. Cerca de três mil pessoas participaram da caminhada, que saiu da igreja matriz pela Avenida Nossa Senhora de Nazaré (Leste-Oeste), tomando a Avenida Contorno Norte Sul, descendo por ruas do bairro Planalto Anil, saindo na Avenida Jerônimo de Albuquerque e se dirigindo para a Igreja de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, onde costumeiramente a imagem da padroeira pernoita e fica até a tarde do dia seguinte e sai em procissão. Essa caminhada marcou o Círio 2011 e foi muito elogiada pelos fiéis.

Círio das Crianças

 

Com a chegada do padre Ricardo João em 2003 – um ardoroso sacerdote paraense com a sua grande devoção mariana – o Círio ganhou um novo elemento: o “Círio das Crianças”.

Por várias vezes o padre propôs a implantação dessa procissão por achar que os pequeninos também deveriam expressar sua devoção a Maria e que é desde cedo que se aprende a venerar nossa mãezinha do céu. Assim, no ano de 2003 foi realizado o primeiro Círio das Crianças. Essa procissão era realizada na manhã do dia do encerramento da festa e geralmente sai de uma escola da comunidade (2003 – Colégio Cenaza; 2004 – Colégio Sagrado Coração de Jesus; 2005 – Colégio O Bom Pastor e, em 2006, Colégio Primavera).

– Círio e missa de encerramento – realizado no segundo domingo de outubro, sai às 16h da igreja da Cohab e se dirige para o Cohatrac, onde a festa é encerrada com uma grande missa campal.

Por onde passa a procissão é grande o número de homenagens prestadas à santa, as ruas são carinhosamente ornamentadas, os prédios são enfeitados e deles caem chuva de papel picado e balões coloridos sobem ao céu como que levando os pedidos do povo.

É grande também o número de pessoas pagando promessas, carregando réplicas de casas, velas gigantes, partes do corpo humano em cera, crianças vestidas de anjos, pessoas descalças agarradas à corda que circunda a berlinda com a imagem da santa. São algumas formas de agradecimento encontradas por devotos que vêm agradecer os milagres.

Esta é sem dúvida a parte mais emocionante da festa. Após algumas horas de caminhada, muitos cantos e orações, a imagem chega ao local da missa de encerramento do festejo.

Inicialmente esta missa acontecia na rotatória próxima à igreja. Com o crescimento do número de pessoas, por decisão da diretoria da festa, no ano de 2002 a celebração passou a acontecer na praça das quadras entre as ruas 27 e 29 do Cohatrac IV. Por dois anos ela foi realizada ali.

Depois, devidos à reclamação por parte de pessoas da comunidade, essa celebração foi transferida para a Praça da Caixa D’água, no mesmo Cohatrac IV, pois os reclamantes achavam longe o primeiro local e diziam que muitas pessoas não iam até o local de realização da Santa Missa.

Neste segundo local, aconteceram as missas dos anos de 2004, 2005 e 2006. No ano de 2007, devido o local ter sido vendido a uma rede de supermercados da capital, que ali iniciou uma construção, a missa retornou ao seu local de origem, causando grande contentamento por parte da população que achava que o local dessa missa nunca poderia ter sido mudado. O retorno se deu no ano de comemoração do 15º Círio de Nazaré.

Peregrinação do Círio pela Arquidiocese de São Luís – no ano de 2002, por ocasião do décimo ano de realização do Círio em São Luís, por iniciativa da Pastoral Litúrgica da paróquia, foi realizada uma peregrinação por toda a arquidiocese.

Esta caminhada começou no dia 12 de julho e terminou em 31/08/2002. Ao todo foram visitadas 26 paróquias, asilos, hospitais, penitenciária, casas de passagem e órgãos públicos como prefeitura, Assembléia Legislativa, Câmara de Vereadores o palácio do governo estadual.

No ano de 2007, em comemoração ao 15º Círio, essa peregrinação voltou a acontecer, incluindo agora a área rural da arquidiocese. Essa caminhada iniciou-se no dia 13/07 e terminou dia 29/09/07.

Os círios seguintes

1993 – não aconteceu o Círio por causa da construção da igreja, foi realizado apenas o festejo de 08 a 17/10.

1994 – de 07 a 16/10/1994 (Os primeiros círios terminavam sempre no terceiro domingo do mês de outubro, para não coincidir com o Círio de Belém, que acontece sempre no segundo domingo de outubro. Foi então que a partir de 1998, o padre Antonio José resolveu juntamente com a comunidade realizá-lo no mesmo dia do Círio de Belém.)

1995 – de 06 a 15/10/1995

1996 – de 04 a 13/10/1996

1997 – de 10 a 19/10/1997

1998 – de 1º a 11/10/1998

OBS* A partir desse ano, o círio passa a ser celebrado em 11 dias, visto que se faz a novena (9dias) mais o dia do translado e o dia do Círio.

1999 – de 30/09 a 10/10/1999

2000 – de 28/09 a 08/10/2000

2001 – de 04 a 14/10/2001

2002 – de 03 a 13/10/2002

2003 – de 02 a 12/10/2003

2004 – de 30/09 a 10/10/2004

2005 – de 29/09 a 09/10/2005

2006 – de 28/09 a 08/10/2006

2007 – de 04 a 14/10/2007.

2008 – de 02 a 12/10/2008

2009 – de 01 a 11/10/2009

2010 – de 30/09 a 10/10/2010

2011 – de 29/09 a 09/10/2011

2012 – de 04 a 14/10/2012

2013 – de 03 a 13/10/2013

A parte social da festa (Shows, Corrida Rústica)

A parte social da festa nos primeiros anos do Círio era realizada no pátio interno da igreja. Ali acontecia a venda de comidas típicas e a apresentação de atividades culturais.

Com a passagem do padre Jozimar Pinheiro, o mesmo sugeriu que fosse realizada a parte social do lado de fora da igreja para que mais pessoas pudessem participar, foi então que no ano de 1995 o largo foi realizado na rua “B” ao lado da igreja.

No ano de 1997, o então prefeito de São Luís, Dr. Jackson Lago, construiu a Praça Nossa Senhora de Nazaré, que fica em frente à igreja matriz, e doou-a para que a comunidade realizasse a parte social da festa ali. A praça dispõe de um palco e um salão que servem de apoio para a realização de shows e outros eventos.

Os temas dos círios

 

1992 – “Maria, peregrina da nova evangelização”

1993 (festejo) – “Derrubou dos tronos os poderosos e elevou os humildes”

1994 – “Ave-Cheia de graça, o Senhor é contigo”

1995 – “Bendita és tu entre as mulheres”

1996 – “O Senhor fez em mim maravilhas”

1997 – “Bem-aventurada és tu que creste”

1998 – “Minha alma glorifica ao Senhor”

1999 – “A virgem conceberá e dará a luz à um filho” Mt 1,23 Lema: De Maria nasce o Salvador”

2000 – “Ele veio pra salvar todas as nações” Cf Ap 12,5 Lema: “2000 aos com Maria aprendendo a seguir Jesus Cristo” – Jubileu 2000 anos do nascimento de Jesus Cristo

2001 – “Para Deus nada é impossível” Lc 1,37 Lema: “Maria, modelo para o Cristão que vive e anuncia a esperança”

2002 – “Vós sois a luz do mundo” Lema: Círio de Nazaré, 10 anos iluminando o Maranhão. – 10º Círio de Nazaré

2003 – “Eis aí a tua mãe” Jo 19,27 Lema: “O discípulo de Cristo recebe Maria em sua casa”

2004 – “Entre eles estava Maria, a mãe de Jesus” Cf At 1,14 Lema: “Ela está sempre entre os fiéis”

2005 – “Tu És o Pão vivo descido dos céus” Cf j0, 6,51 Lema: “Senhor Jesus, com Maria vimos te adorar” – Ano Eucarístico

2006 – “Ide e anunciai as maravilhas de Deus” cf Mt 10,7 Lema: A exemplo de Maria, vamos semear a esperança. – 15 anos das Santas Missões Populares.

2007 – “Caminhamos guiados por tua luz” – 15 anos de Paróquia e de Círio (A partir desse ano também optou-se por ter só o tema central e não mais o sub-tema)

2008 – “Andai como filhos da luz” Ef 5,8 – Ano Paulino

2009 – “Nazaré, berço do discipulado e da partilha” Ano Catequético. Lema: “Senhor tu nos falas, arde o coração”

2010 – “Festa da luz, banquete da vida”

2011 – “Festa da Luz; nossa fé vida e missão”

2012 – “Festa da Luz – Celebração do amor, vivência da unidade”

2013 – “Círio de Nazaré – Devoção, vigor e fé”

A construção da berlinda

Com o crescimento da festa e a necessidade de mudança, o padre Antonio José Soares viu que era preciso construir uma berlinda para que no dia da procissão a imagem ficasse mais próxima dos fiéis, pois até então ela era trazida em cima do carro de bombeiros, que por sua altura dificultava a visualização dos romeiros, promesseiros e devotos. No ano de 2005 foi então confeccionada a atual berlinda feita em madeira cedro.

O terço da alvorada

No ano 2000, por ideia do padre Ricardo Moreira, com apoio da Pastoral Litúrgica, teve início o “terço da alvorada” durante o festejo.

Às 6h da manhã, os fiéis saem em caminhada carregando o andor com a imagem da padroeira e rezando o terço pelas ruas do bairro. Cada dia a caminhada segue um trajeto e contempla diversas ruas dos conjuntos encerrando sempre com a santa missa da 06h30 da manhã. Durante os nove dias os fiéis trazem seus pedidos anotados em pequenos papéis e depositam no cesto, esses pedidos são apresentados a Deus e, em seguida, “incinerados” no último dia do terço como forma de preces.

Neste último, logo após a Santa Missa, é realizado um café da manhã em confraternização pelos que participam do terço.

O livro de cantos e da peregrinação

Em 1997, a comissão do Círio preparou um livro para a realização dos encontros da peregrinação do Círio juntamente com os cantos e as orações do festejo.

Hoje, esse livro contém os cantos e as orações para o acompanhamento dos cantos nas celebrações, romaria, procissões do Círio.

A mudança do local da missa de encerramento

Com o crescente número de fiéis na procissão do Círio de Nazaré, discutiu-se a possibilidade de mudança do local da missa de encerramento que até então era realizada na rotatória que fica no cruzamento das avenidas Nossa Senhora de Nazaré (Leste Oeste) com a Av. Norte Sul, pois a mesma já não comportava a multidão e dificultava a instalação de um palco de maior dimensão, além de incomodar os irmãos protestantes da Igreja Batista do Cohatrac que, gentilmente, a pedido dos padres não realizavam seu culto no domingo do encerramento do Círio.

Assim, no ano de 2002, após o enfrentamento de alguns descontentamentos, a procissão se estendeu mais um pouco e a missa foi realizada na praça das quadras (entre as ruas 26 e 28 do Cohatrac IV). Dois anos mais tarde (2004) achou-se melhor transferir novamente o local, desta vez para a praça da caixa d’água (entre as ruas 10 e 13 do mesmo Cohatrac IV) por ser essa mais ampla e melhor iluminada. Ali foi celebrada a missa de encerramento durante os anos de 2004, 2005 e 2006.

Em 2007, a área foi vendida para uma rede de supermercados da cidade, então foi necessário escolher outro local, a comunidade então se manifestou pela volta da missa para a rotatória próxima da Matriz, vendo isso como uma vontade da “santa”

Os dez anos do Círio – 2002

Por idéia da Pastoral Litúrgica, no ano de comemoração dos dez anos do Círio, foi realizada uma Peregrinação na Arquidiocese de São Luís. Essa peregrinação começou no dia 12/07/2002. A primeira paróquia visitada foi a de São José de Ribamar. Após a Santa Missa na matriz de Nossa Senhora de Nazaré, um bom número de fiéis foi de ônibus para a cidade de Ribamar, onde foram recebidos pelos fiéis daquela paróquia no local denominado Cruzeiro, na entrada da cidade, e a imagem foi conduzida em procissão até o Santuário de São José.

Em seguida, a peregrinação percorreu grande parte das paróquias da arquidiocese e órgão públicos, hospitais e entidades sociais.

Essa peregrinação encerrou-se no dia 31 de agosto do mesmo ano, com a visita à última paróquia, que foi a Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, na Cohab.

Os 15 anos do Círio

No ano de 1997, por ocasião dos 15 anos do Círio, foi realizada novamente a peregrinação do Círio pelas paróquias da arquidiocese – desta vez incluindo as da área rural – e também pelos órgãos públicos (Palácio do Governo Estadual, Municipal, Câmera dos Vereadores, Assembléia Legislativa), entidades (Asilo de mendicidade, Apae, Hospital Nina Rodrigues, Hospital Aldenora Bello, Getúlio Vargas, Presídio de Pedrinhas, Quartel da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros, Casa de Passagem de crianças portadoras do vírus HIV, etc.)

Ainda em comemoração às festividades do 15º Círio – Nos dias 07 e 08/07/2007 uma caravana formada por 108 pessoas da comunidade visitou a Basílica de Nossa Senhora de Nazaré em Belém, em forma de agradecimento à Virgem Maria e ali celebrou-se uma missa em ação de graças pelos 15 anos do Círio maranhense.

A missa aconteceu às 10h30 do dia 08/07/2007 na Basílica de Nossa Senhora e o destaque foi a presença de elementos da cultura maranhense como o Bumba-meu-boi sotaque de orquestra que entronizou a palavra de Deus naquela celebração.

Fomos muito bem recepcionados pela Diretoria do Círio paraense, bem como por seu presidente, o padre Ramos, que nos mostrou as dependências do Centro Pastoral onde ficam expostos os mantos, os carros e demais elementos do Círio paraense.

A primeira romaria

Por sugestão do padre Josimar Pinheiro, no ano de l996 aconteceu a primeira romaria do Círio. A ideia era realizar uma caminhada do Centro até o bairro do Cohatrac, onde os fiéis passariam a noite inteira rezando, cantando e louvando a Deus. A caminhada sairia da igreja Nossa Senhora do Carmo à meia-noite, seguindo pela Rua de Santana (trajeto alterado depois – hoje pela Rua Grande), descendo a Rua Oswaldo Cruz, no Canto da Fabril, pegando a Av. Getúlio Vargas e fazendo sua primeira parada na Igreja Nossa Senhora da Conceição do Monte Castelo, onde se faria uma reflexão.

Logo após, seguia-se pela mesma avenida, até chegar ao cruzamento com a Av. dos Franceses, onde se desceria rumo ao bairro da Alemanha, onde fica a Igreja de Nossa Senhora da Glória, local da segunda parada e de mais um momento de reflexão.

Daí, descendo a mesma avenida, seguiria até o viaduto do Café, no Outeiro da Cruz, de onde seguiria pela Av. João Pessoa, passando pelo bairro do Anil, até chegar à Igreja Nossa Senhora da Conceição neste mesmo bairro, lugar da terceira parada com reflexão e um momento para os romeiros tomarem um lanche.

Da Igreja Nossa Senhora da Conceição do Anil partiríamos para a Cohab, seguindo pela Av. São Sebastião, chegando à Av. Jerônimo de Albuquerque, onde se encontra a Igreja Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, 5ª e última parada.

Então rumaríamos para o Cohatrac, cortando o bairro da Cohab, saindo na Av. 13, por trás da Maternidade Marly Sarney, tomando a avenida de acesso ao Cohatrac, pegando a Av. Leste-Oeste até chegar à igreja matriz, onde se celebraria a missa dos romeiros por volta das 6h da manhã.

Inicialmente a missa acontecia dentro do templo, após o ano de 1997, com a inauguração da Praça Nossa Senhora de Nazaré, passou-se a celebrar ao ar livre nesta mesma praça. Uma curiosidade sobre a romaria é o fato de que todas as paradas acontecem em templos dedicados à virgem Maria sob diversos títulos.

O Círio das Crianças

Com a chegada do padre Ricardo no nosso meio no ano de 2003 – um ardoroso sacerdote paraense com a sua grande devoção mariana – o Círio ganhou um novo elemento; o “Círio das Crianças”.

O sacerdote, por várias vezes, propôs a implantação dessa procissão por achar que os pequeninos também deveriam expressar sua devoção a Maria e que é desde cedo que se aprende a venerar nossa mãezinha do céu.

Assim, no ano de 2003, com o apoio incondicional da Pastoral da Liturgia, foi realizado o primeiro Círio das Crianças. Essa procissão acontece na manhã do dia do encerramento da festa e geralmente sai de uma escola da comunidade (2003 – Colégio Sagrado Coração de Jesus; 2004 – Colégio Cenaza; 2005 – Ana Karina; 2006 – Colégio Primavera; 2007 – Colégio Dom Quixote; 2008 – Colégio O Bom Pastor; 2009 – Colégio Solução Maranhense; 2010 – Colégio Aprender Cohatrac; 2011- praça do Cohatrac V e a escola homenageada foi a Unidade Integrada Maria Pinho).